julho 21, 2011

MET ÓPERA 2011-2012 - Conheça a nova temporada e as datas de exibição AO VIVO nos cinemas das melhores óperas do mundo

A LIVE MOBZ traz a partir de 15 de outubro as melhores óperas do mundo de volta, ao vivo de Nova York para os cinemas do Brasil.

Na temporada lírica 2011/2012 (de outubro de 2011 a maio de 2012) as óperas do Metropolitan Opera House de Nova York – o MET – serão transmitidas ao vivo, em alta definição de som e imagem. São onze produções (sete das quais inéditas no palco novaiorquino e uma estreia mundial) para mais de 1.500 salas de cinemas de 46 países.

As montagens grandiosas do MET trazem alguns dos melhores solistas, regentes e conceituados diretores cênicos da atualidade.

As duas últimas óperas que compõem a monumental tetralogia de Richard Wagner, O Anel do Nibelungo - SIEGFRIED e CREPÚSCULO DOS DEUSES - fazem parte da nova temporada, que apresenta ainda o barítono brasileiro Paulo Szot, em MANON, de Jules Massenet, em seu retorno ao MET depois de uma brilhante participação na temporada passada na ópera O NARIZ.

Nesta nova temporada, a LIVE MOBZ trabalha para ampliar o número de cinemas e cidades que receberão o MET, tendo em vista a ampliação do circuito brasileiro de salas equipadas com antenas e projeção digital.

Desde o início das transmissões, em 2006, já foram vendidos mais de sete milhões de ingressos em todo o mundo.

"Atingir uma audiência global é uma experiência fascinante para toda a companhia", comemora o diretor geral do MET, Peter Gelb.

Para quem está acostumado a assistir a uma ópera de um ponto de vista fixo na platéia, as transmissões do MET abrem uma nova perspectiva para o gênero. Os close ups, as entrevistas com cantores e produtores e as cenas dos bastidores contribuem para criar uma agradável sensação de proximidade entre o espectador e o palco.

A TEMPORADA (clique nos títulos das óperas para mais detalhes no portal da MOBZ)

» ANNA BOLENA - 15/10/2011

Composta por Gaetano Donizetti em 1830, a ópera ANNA BOLENA foi um divisor de águas na carreira do compositor e estabeleceu sua reputação internacional, apesar de nunca ter sido encenada no MET.

A première no mais importante teatro lírico dos Estados Unidos traz a soprano russa Anna Netrebko no papel da rainha-consorte levada à loucura pela infidelidade do marido, o rei Henrique VIII. Incapaz de dar ao soberano o herdeiro pelo qual ele tanto ansiava, Anna cai em desgraça e, acusada de adultério, acaba morrendo decapitada no fim do segundo e último ato da ópera.

» DON GIOVANI - 29/10/2011

O eterno anti-herói de Mozart ganha nova produção do MET, que traz no papel-título o tenor polonês Mariusz Kwiecien, cuja interpretação jovial e carregada de sensualidade já encantou platéias em Londres, Viena e São Francisco.

Com direção do premiado Michael Grandage e regência do titular do MET, James Levine, a montagem de Don Giovanni apresenta ainda um elenco afinado com as obras de Mozart. A soprano Marina Rebeka faz Donna Anna ao lado de Barbara Frittol como Donna Elvira. Mojca Erdmann (Zerlina), Ramón Vargas (Don Ottavio), Luca Pisaroni (Leporello), Joshua Bloom (Masetto), e Štefan Kocán (o Comendador) completam o elenco.

» SIEGFRIED - 05/11/2011

Terceira do ciclo de quatro óperas conhecido como O ANEL DO NIBELUNGO, que imortalizou Richard Wagner, SIEGFRIED foi composta entre 1856 e 1857 (a partitura foi modificada pelo próprio compositor ao longo dos anos seguintes). Com uma visão cósmica, Wagner relata as aventuras e conquistas do herói Siegfried até seu encontro fatal com a amada Brünhillde e o ocaso dos deuses que regiam o mundo mítico criado pelo genial compositor alemão. O Anel trata fundamentalmente da natureza destrutiva do poder e da fortuna.

Esta montagem revolucionária do diretor Robert Lepage reflete magnificamente o universo wagneriano criado a partir de antigas lendas e mitos germânicos. Com o uso inovador da tecnologia 3D, Lepage nos transporta para florestas encantadas, cavernas e ninhos de amor em que o compositor ambientou essa jornada épica que, juntamente com as outras três óperas do ciclo, mudou a história da arte lírica.

» SATYAGRAHA - 19/11/2011

O compositor americano Philip Glass definiu SATYAGRAHA como uma obra que trata de política, violência e não-violência. A ópera relata os primeiros anos de Gandhi na África do Sul e, ao longo de três atos, reforça o conceito de resistência pacífica difundido pelo indiano que inspirou ativistas em todo o mundo.

» RODELINDA – 03/12/2011

Sucesso absoluto na première de 2004, RODELINDA, do compositor barroco Georg Friedrich Händel, volta ao palco do MET trazendo a soprano Renée Fleming novamente no papel-título da elogiada produção do diretor Stephen Wadsworth.

Rodelinda foi composta na primeira metade do século XVIII e narra a história da rainha lombarda cujo trono foi usurpado e cujo marido, o rei Bertarido, forçado a fugir de Milão. Quando todos acreditavam que ele estava morto, Bertarido retorna disfarçado para resgatar a esposa e o filho Flavio, ambos em poder do rival Grimoaldo - um raro happy end no mundo da ópera.

» FAUSTO – 10/12/2011

A clássica versão do compositor francês Charles Gounod para a lenda do doutor Fausto apresentada pelo MET nesta temporada traz um elenco de peso: no papel-título: o tenor alemão Jonas Kaufmann (uma dos grandes vozes da cena lírica internacional nas palavras do maestro Cláudio Abbado), o baixo René Pape (dono de uma voz em um milhão, segundo a revista Opera News) como Mefistófeles e a talentosa soprano russa Marina Poplavskaya no papel de Marguerite.

» A ILHA ENCANTADA - 21/01/2012

Inspirado nas colagens musicais do século XVIII, o espetáculo A ILHA ENCANTADA faz sua estréia mundial no MET levando ao público a música de grandes mestres do barroco como Handel, Rameau e Vivaldi, além de incluir pequenos excertos de André Campra, Jean-Marie Leclair e outros. No elenco, destaque para a participação de Placido Domingo.

» CREPÚSCULO DOS DEUSES - 11/02/2012

Traição, cobiça, perda e a célebre ária da imolação são apenas alguns dos elementos que fazem de CREPÚSCULO DOS DEUSES, de Richard Wagner, umas das óperas mais densas e instigantes de todos os tempos. A produção conclui o ciclo de quatro óperas de O Anel do Nibelungo, dirigido por Robert Lepage para a temporada 2011/2012 do MET.

» ERNANI - 25/02/2012

Verdi compôs ERNANI quando sua reputação já estava devidamente estabelecida, principalmente em Milão. Mas a ópera estreou no La Fenice, em Veneza, em 1844, e foi sucesso instantâneo. Até hoje, ERNANI é parte do repertório de teatros líricos de todo o mundo.

» MANON - 07/04/2012

MANON, do francês Jules Massenet, traz de volta ao palco do MET a aclamada soprano russa Anna Netrebko contracenando com o barítono brasileiro Paulo Szot como Lescaut, primo da trágica heroína. Não é a primeira vez que Szot pisa o palco do MET. Sua estréia em O NARIZ, em 2010, foi muito elogiada pelos críticos.

» LA TRAVIATA – 14/04/2012

A soprano Natalie Dessay faz sua estréia no MET no papel de Violeta depois do estrondoso sucesso como LUCIA DI LAMMERMOOR na temporada passada. Dirigida por Willy Decker, a estupenda produção de LA TRAVIATA faz jus ao papel de destaque que a ópera de Verdi ocupa no repertório operístico.

» Clique para conhecer mais detalhes de todas as óperas no portal da MOBZ

2 comentários:

Afonso disse...

A divulgação das datas de apresentação das óperas está muito tímida em outros meios de comunicação.Por que não existe uma maior aproximação com os "Cadernos Culturais" dos diversos jornais?

Eduardo Vieira disse...

Vocês vão vender assinaturas? Quando elas começarão a serem oferecidas.

Eu sei que a escolha dos cinemas é um processo complexo, mas por favor, continuem com a opção em cinemas mais novos, como o Fashion Mall. O som do Leblon é horroroso, estraga a transmissão.